A qualidade de vida no trabalho tem se tornado cada vez mais decisiva na produção de um colaborador. Em tempos de home office, manter a saúde mental e física das pessoas não tem sido uma missão fácil para os gestores. Existem diversas alternativas para trabalhar isso e o Worksite é uma delas.

Alguns números ajudam a comprovar isso: 9 em cada 10 brasileiros apresentaram sinais de ansiedade, segundo um estudo da International Stress Management Association (ISMA). Outra pesquisa realizada pelo Observatório Febrapab/Ipespe aponta que 57% dos entrevistados mencionaram prejuízos com a saúde mental durante a pandemia. 

Esses números trazem um reflexo imenso no índice de satisfação dos colaboradores dentro do seu emprego. Segundo pesquisa da Sodexo, apenas 54% dos brasileiros estão felizes com o seu atual emprego.  

Com todos esses dados, os gestores precisam traçar algumas alternativas para que o rendimento dos profissionais não acabe comprometendo o dia a dia no trabalho. Dentro do mercado de seguros, o worksite é uma estratégia muito utilizada para motivar equipes. 

Vem com a gente descobrir um pouco mais sobre essa estratégia interessante! 

O que é worksite? 

Pensar no bem estar dos colaboradores vai muito além do pagamento em dia e de boas condições para se trabalhar. Hoje, mais do que nunca, é preciso cuidar das pessoas que fazem parte de uma organização.

Pensando nisso, uma solução começa a ganhar cada vez mais destaque: Worksite ou  Grupo de Afinidade, que significa uma rede de descontos e benefícios na contratação de serviços que proporcionam saúde, segurança, bem-estar... Entre outras vantagens para os colaboradores da empresa. 

Inclusive, é prática comum do mercado as seguradoras oferecerem descontos especiais na contratação dos mais diversos ramos de seguros, para os gestores repassarem aos seus colaboradores.

Ao levar o worksite para a empresa é possível reafirmar o cuidado que se tem com as pessoas que se dedicam e prosperam junto com o negócio. Dessa forma, além de ajudar na fidelidade e produtividade, é fortalecida a cultura de proteção e valorização dos colaboradores. 

Corretor de seguros falando sobre worksite.

Quais benefícios o colaborador tem? 

Com o worksite o funcionário não tem cobrança ou desconto algum na folha salarial e possui acesso aos descontos na contratação dos seguros na seguradora que a empresa escolher para disponibilizar o serviço. 

Além disso, como já mencionamos acima, o colaborador que utilizar do worksite para contratar um seguro terá um ganho de bem-estar, saúde e segurança, prioridades que são cada vez mais almejadas no mercado de trabalho e na vida como um todo, não é mesmo?

A lição principal é: cuide de quem está ao seu lado e colham os resultados juntos!  

Quero aplicar o worksite: como começar?

O primeiro passo para levar o worksite para qualquer empresa é pesquisar. Conhecer quais as vantagens que cada companhia seguradora oferece e como isso vai se aplicar no dia a dia da instituição como um todo.

É importante sempre reafirmar que o serviço não pode ter custo adicional ao colaborador, precisa ser uma vantagem gratuita, em que ele tem a liberdade para contratar ou não o seguro com o desconto oferecido no serviço de worksite. 

Após encontrar o grupo de afinidade ideal, é válido uma conversa com a equipe para apresentar a todos as vantagens e como eles poderão utilizar os benefícios. Dessa forma, é consolidada a cultura de proteção pessoal dos profissionais da organização.

Corretora de seguros falando sobre worksite.

E aí, o que achou dessa ideia? Valorizar as pessoas é uma prática muito importante na gestão de uma empresa e o worksite está no mercado de seguros para isso. Você abre uma oportunidade de mais pessoas consumirem a cultura de proteção pessoal e patrimonial! 

Falando em ambiente de trabalho… 

Você sabia que a Segfy possui a certificação GPTW? Isso mesmo!  Pelo segundo ano consecutivo, conquistamos o selo Great Place to Work e estamos entre as melhores empresas para se trabalhar. Então, se precisar de alguma dica para ter um ambiente incrível de trabalho, conte com a nossa equipe para te ajudar! 

Instagram: @eusousegfy

Facebook: /Segfy

YouTube: Segfy

LinkedIn: Segfy

O mercado de seguros vem ganhando os olhos de quem procura uma carreira rentável para seguir. Mas você já parou para pensar se é uma profissão realmente promissora ou quanto ganha um corretor de seguros? Somente nos 4 primeiros meses de 2021, o segmento teve um aumento de 15,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo a síntese mensal da Susep.

Esses números positivos, mesmo em meio a pandemia, atraíram uma grande parcela de pessoas que até então não viam o mercado de seguros como prioridade para carreira profissional. 

E aí, quem quer saber como funciona a remuneração de um corretor de seguros? Vem com a gente! 

Qual é o salário de um corretor de seguros? 

Uma das dúvidas mais frequentes quando falamos sobre a entrada no mercado de seguros é se o corretor de seguros possui um salário base, além das comissões e bônus de vendas. 

A resposta é sim! O corretor que opta pelo regime CLT, recebe um salário fixo em carteira. 

De acordo com uma pesquisa do site salários.com.br, o corretor iniciante recebe em média R$1.434,52 na carteira de trabalho. Já os corretores dos níveis 2 e 3 recebem em média, respectivamente, R$1.622,77 e R$1.949,32.

O corretor que escolhe trabalhar como pessoa física tem uma remuneração menos estável. Existe um grande desconto de impostos que afetam ainda mais a renda mensal de quem opta por esse regime de trabalho. 

É importante ressaltar que o corretor de seguros que trabalha em regime CLT pode sim ganhar mais que o valor base. Tudo vai depender da quantidade de vendas, renovações, entre outros pontos que possam gerar mais valor em forma de comissionamento para sua remuneração.

Qual é a comissão de um corretor de seguros?  

Comissão é um tema muito debatido entre os corretores de seguros. Afinal, existem muitos fatores que podem variar o valor que cada um pode receber com as vendas. Os ramos são o principal fator dessa variação. Por exemplo, um seguro auto, que é mais procurado no mercado, entrega uma comissão em média de 15%, já um seguro residencial pode gerar uma comissão de até 25%. 

A porcentagem de comissionamento, obrigatória por lei no Brasil, é uma das maiores do mundo. A Argentina, por exemplo, paga em média 10% a 15% de comissão para seus corretores

Vale ressaltar que as comissões são rendas variáveis, tudo vai depender do comportamento dos clientes, de quais estratégias de venda está usando, da comunicação clara, do momento financeiro do país e diversos outros fatores.

O que vale mais a pena: pessoa física ou jurídica? 

Após tirar a certificação da Susep, essa é uma das grandes decisões que o corretor de seguros precisa tomar. Não existe uma opção que seja mais vantajosa que a outra, mas sim aquela que faz mais sentido com o que você busca para o seu negócio a curto, médio e longo prazo. 

“Tá, mas como essa escolha impacta no meu salário?”

Em 2015, a profissão de corretor de seguros foi regularizada como pessoa jurídica pelo Simples Nacional. Com isso, o corretor pode atuar com um CNPJ e realizar a emissão de notas fiscais para cada comissionamento recebido. 

Atuando dessa forma, o corretor de seguros que tem renda de até quinze mil por mês, terá o desconto de, em média, 13% em encargos fiscais sobre comissões. 

Já como pessoa física, o corretor tem mais autonomia de trabalho e os recibos são em formato de Recibo de Pagamento Autônomo (RPA), diferente da nota fiscal tradicional. Porém, os descontos fiscais são um pouco mais altos, podendo chegar até a 40% dependendo do formato de venda que foi fechada.

Por fim, o recado que fica é a importância de pesquisar muito bem. Vale a pena ir atrás de todos os dados e informações necessárias para entender o que encaixa mais com o seu perfil e objetivos.

Depois, é só seguir e decolar! 🚀

Qual é o investimento para ser um corretor de seguros?

Para conquistar a habilitação de corretor de seguros, é necessário tirar a certificação da Susep. O exame é aplicado pela Escola Nacional de Seguros (ENS) e tem custo de R$832,50 para trabalhar com todos os ramos. Devido aos 50 anos da ENS, atualmente os valores estão com um desconto especial de 50%

Além da certificação, existem outros cursos adicionais oferecidos pela ENS que podem complementar a sua formação e ampliar a preparação para o mercado de seguros. 

Fonte: ENS

Como já comentamos antes, o mercado de seguros vem crescendo e conquistando cada vez mais espaço no cotidiano do brasileiro. O profissional que deseja ingressar na carreira de corretor precisa manter a mente aberta para as movimentações do setor e estar em constante aprendizado

Muitas novidades estão por vir e o mercado vai valorizar os profissionais que estiverem mais preparados para o trabalho. Por isso, bora colocar a mão na massa e conquistar o seu espaço! 🚀

Curtiu o conteúdo? Vem seguir a gente nas redes sociais e receber ainda mais materiais como esse! 

Instagram: @eusousegfy

Facebook: /Segfy

YouTube: Segfy

LinkedIn: Segfy

Quem é seu cliente de seguros? Para vender, se comunicar, atender o cliente de seguros, todo corretor precisa saber quem é essa pessoa. Embora cada indivíduo seja único, é possível desenhar uma persona que ilustra esse comprador ideal.

A partir desse desenho, fica mais simples decidir propostas de venda, definir os produtos a serem oferecidos, tipo de abordagem e tom de voz para comunicação.

A persona também ajuda na hora de como desenvolver e oferecer seus serviços focados nas necessidades e desejos deste seu cliente de seguros.

Quem é a persona do meu cliente de seguros?

Uma confusão muito comum na hora de desenhar o cliente ideal é misturar público alvo com a persona, vamos entender como separar essas duas classificações e te mostrar uma ferramenta prática para ajudar no desenho da persona.

A diferença entre público alvo e persona

Público alvo se refere ao grupo de pessoas que são seus potenciais clientes com características demográficas que os identificam. Por exemplo: homens, casados, que moram em cidades grandes, têm renda média de X reais , possuem carro e são empregados CLT - esse é um exemplo de público alvo.

Já a persona, é realmente uma personificação de quem é seu cliente ideal, no nível individual.

Exemplo: Ricardo - jovem pai e trabalhador, começou sua carreira agora e acabou de comprar seu primeiro carro. Se preocupa em trazer estabilidade financeira para sua família, pensa em comprar uma casa, tem preocupação com o futuro de seus filhos e joga futebol nas horas vagas.

Canva da proposta de valor

Uma ferramenta que pode auxiliar no desenho da sua persona é o Canvas de Proposta de Valor.  Ele foi desenvolvido por Alexander Osterwalder para ilustrar o encaixe de mercado e produto do que você oferece ao seu cliente, pois ele parte de dois pontos de vista: o do cliente e o da sua empresa.

Qual a visão de valor do seu cliente? 

Do lado do cliente no canvas você vai listar três bases:

  • Tarefas do cliente: aqui entram todas as tarefas ou necessidades que o cliente precisa resolver em algum momento da vida dele que tenha relação com o seu produto ou serviço. Exemplo: proteger sua família, proteger seus bens, encontrar um corretor, contratar um seguro, entender o que está contratando, acionar o seguro, fazer renovação de seguro automóvel, etc.
  • Ganhos: nessa lista serão listados todos os ganhos que o cliente conquista ao conseguir realizar as tarefas listadas no primeiro passo de uma maneira positiva. Exemplo: tranquilidade, entendimento, tempo no dia, facilidade de acesso aos seus dados, segurança.
  • Dores: no último pilar do lado do cliente, listamos quais são as dores que ele encontra pelo caminho ao tentar realizar as tarefas que precisa. Exemplo: não entender as cláusulas de um contrato, não saber o que contratou, não ter retorno rápido de seu corretor, insegurança na hora de decidir qual seguro contratar e falta de conhecimento.

Qual a proposta de valor da sua corretora?

Do lado da sua empresa, o Canvas de Proposta de Valor pede que você faça um levantamento de mais três pilares:

  • Produtos e serviços: aqui é onde você vai listar todo o seu portfólio de tipos de seguro que oferece e qualquer outro produto ou serviço diferenciado da sua empresa. Exemplo: seguro automóvel, consultoria de seguros, seguro vida, avaliação de veículo, etc...
  • Criadores de ganho: aqui você vai olhar para os ganhos que o seu cliente busca, listados lá na parte do cliente e listar tudo que sua empresa oferece que gera esses ganhos no cliente. Exemplo: seu cliente busca agilidade e sua empresa consegue enviar uma cotação rápida por WhatsApp, afinal o multicálculo de seguros Segfy oferece cotações ilimitadas em até 30 segundos.
  • Aliviam as dores: o que sua empresa oferece que alivia as dores listadas dos clientes. Exemplo: ele procura poupar tempo e não quer se preocupar em lembrar que o seguro do carro está vencendo, correndo o risco de ficar sem proteção. Para isso sua empresa usa uma plataforma de gestão que facilita o processo e se antecipa na hora de renovar com seus clientes.

É importante que sua empresa tenha fit de serviços e produtos que vão gerar os ganhos que os clientes procuram e aliviar suas dores.

Escrevendo seu cliente de seguros ideal

Agora que você levantou as tarefas de seus clientes, suas dores e desejos, você pode juntar com os dados demográficos do seu público alvo e desenhar suas personas. Elas sempre serão um retrato do seu cliente ideal, por isso escolhemos um nome na hora de caracterizar essa idealização.

Com a descrição pronta da sua persona você pode identificar melhor em quais canais de comunicação você precisa se comunicar com ele, quais são suas prioridades de vida na hora de uma argumentação de venda e personalizar produtos que eles podem nem saber que poderiam resolver algumas de suas dores na hora de escolher um seguro.

Exemplo: cliente para seguro automóvel

Persona 01: Samara - a mãe multitarefas: ela é casada, tem 34 anos, 2 filhos, usa o carro da família para levar as crianças na escola, trabalhar e fazer as compras da casa, tem metade da vida no carro de tanto tempo que passa lá, consome conteúdos em formato podcast por não ter tempo de parar para olhar as telas de tv, procura um corretor que passe tudo que ela precisa direto pelo WhatsApp e que entregue todos os processos facilitados e a lembre de pagamentos e renovações, já que ela está com a cabeça muito ocupada com o calendário dos filhos.

Persona 02: Antônio - o motorista de aplicativo: ele é pai de família, encontrou nos aplicativos de mobilidade uma maneira de fazer renda extra, busca investir para deixar seus filhos seguros no futuro, consome vários conteúdos em grupos de WhatsApp de outros motoristas e considera a indicação muito importante na hora de confiar em um corretor, gosta de facilidade na hora de decidir pagamentos, principalmente de parcelamento no cartão de crédito.

Com quantas personas de clientes posso trabalhar na minha empresa?

Sua corretora pode trabalhar com mais de uma seguradora levando em conta a quantidade de seguros que oferece, focando em algumas personas principais, que vão cobrir a maioria de seus clientes e considerando quais tem uma boa combinação com a proposta de valor da empresa.

Agora é mãos à obra! Defina as personas do seu cliente de seguros ideal e não esqueça de compartilhar a visão com a sua equipe, para que todos estejam alinhados com a comunicação e posicionamento da sua empresa!

Se inscreva em nossa newsletter e receba novidades
Segfy, você + seguro 🧡
Segfy Tecnologia S/A | 30.254.990/0001-55 © 2021 Segfy ®. All rights reserved.